Seu filho até que estuda, mas na hora da prova diz ter o famoso “branco”? Ele esquece o que estudou justamente na hora de responder as questões e às vezes até lembra de tudo assim que sai da sala de aula.

Listamos os 4 principais motivos desse problema e como evitá-lo:

1. Estresse

Durante a adolescência, nossos filhos sofrem uma pressão maior para serem aceitos pelo grupo, para atender as expectativa dos pais e para entenderem o próprio corpo e as mudanças neurológicas, cognitivas e hormonais que ocorrem pelas quais estão passando. Em semanas ou dias de prova, o nível de estresse sobe ainda mais, o que aumenta a concentração do hormônio cortisol. Além de afetar o sistema imunológico, o aumento de cortisol também afeta a habilidade de organização de raciocínio e de memorização. Eis um dos causadores do famoso “branco”. Normalmente, quando o jovem sai da sala da prova, o nível de estresse diminui e ele se lembra da resposta que procurava.

O que fazer para evitar isso?

Ajude seu filho a diminuir o nível de estresse. Comece mostrando que você acredita que ele é capaz, mas que, caso tenha que lidar com um fracasso, você estará ao lado dele para apoiá-lo.

Incentive para que seu filho faça atividades físicas mesmo nas semanas de prova. A atividade física ajuda a balancear o nível de estresse.

Um técnica de eficácia comprovada é pedir para ele escrever um texto alguns minutos antes da prova falando sobre como ele acha que se sairá. O simples fato de escrever sobre a situação diminui a ansiedade.

2. Sono

Varar a noite anterior à prova estudando não é produtivo e também é uma das causas do “branco”. Enquanto estamos acordados, nossos cérebro produz toxinas que ficam “passeando” entre os neurônios. Quando dormimos, o cérebro consegue fazer uma limpeza e se livrar de todas as toxinas produzidas no dia anterior. Quando passamos a noite estudando para uma prova, ou dormimos pouco durante a noite, no dia seguinte nosso cérebro estará super povoado de toxinas que continuam a se acumular. Isso gera uma bagunça no cérebro e impede algumas conexões, levando ao indesejado “branco”. Assim como os jovens sabem que é importante estudar para ir bem em uma prova, eles precisam aprender que um boa noite de sono tem o mesmo peso nessa balança.

3. Quarto

Você sabia que quando precisa memorizar algo, nosso cérebro, de maneira inconsciente, vincula o conteúdo à algum objeto que esteja ao nosso redor no momento do estudo. Ao decorar uma fórmula de física, por exemplo, ele pode se apegar ao abajur do quarto em que seu filho está estudando como referência. Como a prova é feita em um espaço diferente daquele em que o aluno estuda, isso pode causar o “branco”, já que o cérebro não encontra, na sala de aula, a referência que usou para memorizar o conteúdo estudado em casa. Quando houver conteúdo que precise ser memorizado, sugira que seu filho estude em vários ambientes da casa e até mesmo no jardim, assim o cérebro não vai se fixar somente a uma referência no espaço.

4.Estudo espaçado

Estudar um pouco a cada dia permite que o cérebro organize as informações para que sejam facilmente acessadas quando necessário. Estudar toda a matéria no dia anterior da prova pode até gerar algum aprendizado, mas não há tempo hábil para a organização do conteúdo. Isso causa a sensação de branco, já que ele sabe que estudou, mas não consegue encontrar a resposta na hora da prova. Organize com seu filho uma rotina de estudos de forma que a cada dia ele estude um pouco da matéria que teve em sala de aula. Desta forma, quando chegar o dia da prova, bastará uma revisão, pois o conhecimento já estará assimilado e organizado de maneira que possa ser acessado quando for necessário.

Ih, deu branco! 4 dicas para evitar esse sufoco na hora da prova

Posts Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *